Partidos reagem à eleição de Pablo Casado: "Mais do mesmo"

Ex-vice-secretário de Comunicação do PP derrotou a ex-número dois de Mariano Rajoy e é o novo presidente do Partido Popular espanhol.

A eleição de Pablo Casado como novo líder do Partido Popular espanhol, derrotando Soraya Sáenz de Santamaría, foi recebida, à esquerda e à direita, como sendo "mais do mesmo" e "continuísta". O Podemos foi mais longe, considerando que Espanha tem agora "três partidos de extrema-direita".

Através do Twitter, o primeiro-ministro Pedro Sánchez felicitou o novo líder do PP, deixando também um recado face ao discurso de vitória de Casado: "Coragem na tarefa que tem por diante. O governo continuará a trabalhar para o crescimento económico, o emprego digno, a conquista de novos direitos e liberdades e a reconstrução do Estado Social."

Uma opinião diferente foi expressada pela vice-secretária geral do PSOE e porta-voz do grupo parlamentar socialista, Adriana Lastra: "O que vamos ter à nossa frente é mais do mesmo, a mesma direita, a direita de sempre, a de [José Maria] Aznar, de [ex-ministra da Defesa e secretária-geral do PP Maria Dolores de] Cospedal, a que fechava fileiras com os corruptos que roubavam dinheiro quando milhões de espanhóis e espanholas estavam na fila do desemprego", afirmou, citada pelo El País.

O Ciudadanos, através do seu secretário-geral, José Manuel Villegas, disse que a eleição de Casado representa "o continuísmo" no PP. "Estamos diante do PP de sempre, o velho PP, o PP da corrupção, da paralisia e das não reformas", disse, citado pelo El Mundo, lembrando que Casado é "militante de carreira" e que não houve no congresso qualquer "debate ideológico" entre os candidatos. "A única novidade é que agora o PP é um partido dividido, partido ao meio", referiu.

A reação do secretário de Organização do Podemos foi mais extremada: "Dizia-se que, felizmente, em Espanha, não tínhamos um partido de extrema-direita. Com a vitória de Pablo Casado, hoje há três: dois grandes e um pequeno", disse Pablo Echenique, referindo-se a PP, Ciudadanos e ao Vox (partido criado em 2013 para recolher o voto da direita desencantada com as políticas do PP). A estes dois últimos partidos deu os seus pêsames, deixando subentendido que perderão votos para Casado.

Ler mais

Exclusivos