"Parabéns", diz Bolsonaro após polícia matar 11 criminosos

Presidente do Brasil elogia rapidez e eficiência na ação em que parte de uma quadrilha que assaltava dois bancos foi abatida. O governador de São Paulo também mandou felicitações aos agentes.

Jair Bolsonaro elogiou a rapidez e a eficiência dos agentes da divisão de elite da polícia militar que mataram 11 suspeitos de assaltar duas agência bancárias, em Guararema, perto de São Paulo.

"Parabéns ao pessoal pela rápida e eficiente ação contra 25 bandidos fortemente armados e equipados que tentaram assaltar dois bancos na cidade de Guararema e ainda fizeram uma família refém. Onze bandidos foram mortos e nenhum inocente saiu ferido. Bom trabalho", disse o presidente do Brasil.

João Doria, governador de São Paulo, também felicitou os agentes por terem colocado "bandidos no cemitério". "Quem tem que ter vergonha do que faz são os bandidos", afirmou. Na próxima quarta-feira, os polícias envolvidos serão homenageados.

Por volta das 3.00 da manhã desta quinta-feira, cerca de 30 criminosos explodiram duas caixas multibanco mas foram cercados pela polícia numa estrada próxima ao local ainda antes de levarem o dinheiro. Gerou-se um tiroteio que resultou na morte de 11 dos assaltantes.

São Paulo

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

Navegantes da fé

Este livro de D. Ximenes Belo intitulado Missionários Transmontanos em Timor-Leste aparece numa época que me tem parecido de outono ocidental, com decadência das estruturas legais organizadas para tornar efetiva a governança do globalismo em face da ocidentalização do globo que os portugueses iniciaram, abrindo a época que os historiadores chamaram de Descobertas e em que os chamados navegantes da fé legaram o imperativo do "mundo único", isto é, sem guerras, e da "terra casa comum dos homens", hoje com expressão na ONU.