Papa teme uma guerra nuclear. "Estamos no limite"

Francisco confessou receio durante a viagem para o Chile

O papa Francisco confessou hoje, durante a viagem para o Chile, que receia uma guerra nuclear.

"Sim. Tenho medo. Estamos no limite", afirmou o chefe da Igreja católica depois de mostrar uma imagem da explosão em Nagasaki em 1945 aos jornalistas que o acompanharam na viagem de avião desde Itália até Santiago do Chile.

"Tudo o que é preciso é um acidente para iniciar uma guerra. A situação corre o risco de se precipitar a partir daqui", disse Francisco, defendendo a urgência de destruir as armas. "Vamos lutar pelo desarmamento nuclear", apelou.

O papa começa hoje uma viagem de oito dias ao Peru e ao Chile, a sua 22.ª viagem ao exterior.

Com passagem por seis cidades e 21 intervenções agendadas, o líder da Igreja Católica deverá abordar os direitos dos povos indígenas e questões políticas e ambientais.

Jorge Bergoglio chegará na segunda-feira a Santiago do Chile e na quarta-feira visitará a região de Araucania, uma das mais pobres do país, onde se centram as reivindicações dos indígenas da etnia mapuche.

Francisco chegará ao Peru no dia 18 à noite e no dia seguinte reunir-se-á com indígenas em Puerto Maldonado.

A visita papal termina no dia 21.

Ler mais

Exclusivos