Papa implora "perdão do Senhor" pelas vítimas de abusos sexuais na Irlanda

No segundo e último dia de visita, Francisco esteve no Santuário de Knock.

O Papa Francisco "implorou" hoje "o perdão do Senhor" pelas agressões sexuais cometidas na Irlanda por padres católicos, no segundo dia da sua visita ao país.

"Eu imploro o perdão do Senhor por esses pecados, pelo escândalo e traição sentidos por muitos na família de Deus", disse o Papa durante uma visita ao Santuário de Knock, a cerca de 180 quilómetros de Dublin.

Desde 2002, mais de 14 500 pessoas foram vítimas de abuso sexual por padres na Irlanda. A hierarquia da igreja irlandesa é acusada de ter encoberto centenas de sacerdotes.

Várias investigações também revelaram práticas de adoções ilegais de crianças nascidas de mulheres solteiras, realizadas pelo Estado irlandês com a cumplicidade da igreja católica.

A magnitude dos escândalos explica em parte a perda de influência da igreja sobre a sociedade irlandesa, historicamente muito católica nos últimos anos.

"Nenhum de nós pode deixar de se sentir movido pelas histórias de menores que sofreram abusos, que foram roubados da inocência e que foram deixados para trás por lembranças dolorosas. Esta ferida aberta desafia-nos a sermos firmes e determinados na busca da verdade e da justiça", disse o pontífice citado pela AFP.

No sábado, em Dublin, o papa tinha falado da sua "vergonha" e "sofrimento" perante o "fracasso das autoridades eclesiásticas" em lidar adequadamente com os "crimes desprezíveis" do clero na Irlanda.

Antes de Francisco, Bento XVI, seu antecessor, escreveu em 2010 uma carta a todos os católicos irlandeses, reconhecendo a responsabilidade da igreja nos abusos cometidos na Irlanda.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.