Papa Francisco preocupado com aumento da tensão no Golfo Pérsico

O Papa Francisco manifestou este domingo a sua preocupação com o aumento da tensão no Golfo Pérsico e instou a comunidade internacional a promover o diálogo e a paz na região.

"Acompanho com preocupação o crescimento das tensões no Golfo Pérsico. Convido todos a fazerem uso dos instrumentos da diplomacia para resolver os complexos problemas dos conflitos no Médio Oriente. Renovo também à comunidade internacional um veemente apelo para realizar todo esforço possível para favorecer o diálogo e a paz", afirmou Francisco antes da oração do Angelus na cidade de Camerino, no centro de Itália.

O Papa referia-se ao ataque ocorrido na semana passada contra dois petroleiros estrangeiros no mar de Omã, atribuídos pelos EUA ao Irão, que rejeita as acusações.

O Angelus deste domingo foi rezado no final da missa celebrada em Camerino, região central de Itália, atingida pelos terremotos de 2016. O papa Francisco recordou também o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, hoje celebrado."Hoje queremos recordar de modo particular os refugiados. (...) Esta recorrência convida todos à solidariedade com os homens, as mulheres e as crianças que fogem de guerras, perseguições e violações de direitos fundamentais. Que as nossas comunidades eclesiais e civis estejam próximas e atentas às suas necessidades e aos seus sofrimentos", declarou, citado pelo Vatican News.

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

Navegantes da fé

Este livro de D. Ximenes Belo intitulado Missionários Transmontanos em Timor-Leste aparece numa época que me tem parecido de outono ocidental, com decadência das estruturas legais organizadas para tornar efetiva a governança do globalismo em face da ocidentalização do globo que os portugueses iniciaram, abrindo a época que os historiadores chamaram de Descobertas e em que os chamados navegantes da fé legaram o imperativo do "mundo único", isto é, sem guerras, e da "terra casa comum dos homens", hoje com expressão na ONU.