Pais lançam petição para proibir "Pokémon Go" ao volante

Pais de Keita Noritake, que morreu com nove anos atropelado por um motorista que estava a jogar "Pokémon Go", querem evitar mais mortes

Os pais de uma criança que morreu no Japão num acidente de trânsito relacionado com o "Pokémon Go" lançaram uma petição para impedir a utilização do jogo durante a condução de veículos, segundo o jornal diário japonês Asahi.

Na quarta-feira, Keita Noritake, de 9 anos, morreu depois de ser atropelado por um camião conduzido por um motorista que estava a jogar no seu 'smartphone'. Esta foi a terceira vítima mortal no Japão em acidentes de viação relacionados com o "Pokémon Go".

O condutor do veículo, um homem de 36 anos, está a aguardar o desenrolar do processo judicial e deverá ser acusado de negligência ao volante.

Os pais da criança impulsionaram uma petição pública para "colocar em marcha medidas que impeçam a utilização da aplicação durante a condução e assim evitar mais mortes", explicaram numa entrevista publicada esta segunda-feira pelo citado jornal japonês.

Keita Noritake foi a primeira criança a morrer num acidente de viação num caso relacionado com o "Pokémon Go", depois de dois outros acidentes em que morreram duas mulheres, uma de 72 anos e outra 29 anos, desde que o jogo foi lançado em julho no Japão.

A primeira sentença do primeiro caso foi divulgada esta segunda-feira pelo tribunal distrital de Tokushima (oeste do país), na qual o condutor responsável pelo acidente foi condenado a 14 meses de prisão.

Keiji Goo, de 39 anos, foi condenado por homicídio negligente por estar a jogar "Pokémon Go", jogo de realidade aumentada, enquanto dirigia a sua carrinha, causando a morte de uma mulher e outra sofreu ferimentos graves.

No meio da febre mundial que causou este jogo, vários acidentes foram relacionados com o mesmo jogo noutros países, fazendo com que as autoridades japonesas e de outras localidades fizessem recomendações de segurança pública para o uso do aplicativo, nomeadamente para não se jogar em áreas perigosas e enquanto se exerce tarefas de risco.

Ler mais

Exclusivos