"Os porcos estão inquietos?". Feministas respondem a Deneuve

Carta da atriz e de outras 99 personalidades está a dar que falar em França

Ativistas franceses de direitos das mulheres criticaram uma carta aberta assinada pela atriz Catherine Deneuve e outras personalidades, na qual afirmam que os homens estão a ser injustamente acusados de má conduta sexual.

Num texto publicado hoje no site Franceinfotv, a feminista Caroline De Haas e mais de 30 ativistas criticaram fortemente a carta.

As ativistas afirmam que Catherine Deneuve e as outras signatárias da carta estão a usar a exposição dos meios de comunicação para que a violência sexual pareça "normal".

Catherine Deneuve está entre cerca de 100 artistas, estudiosas e outras personalidades que assinaram uma carta aberta, publicada na terça-feira, dizendo que o "protesto legítimo contra a violência sexual" decorrente do escândalo do produtor de cinema Harvey Weinstein, nos Estados Unidos, foi longe demais e ameaça as liberdades sexuais conquistadas.

Na carta, Catherine Deneuve e outras francesas proeminentes dizem que os homens estão a ser injustamente alvo de acusações de má conduta sexual e devem ser livres para "importunar" as mulheres.

A França é o lar de feministas famosas e a carta assinada por Catherine Deneuve atraiu muitas críticas.

"Parecem aquele tio chato nos jantares de família" que não percebem que o mundo está a mudar, afirmaram feministas francesas, lideradas pela ativista Caroline De Haas, juntamente com outras 30 mulheres que publicaram o seu texto de resposta no site de uma televisão francesa.

"Com aquele texto estão a tentar reconstruir o muro de silêncio que começámos a destruir", dizem as mulheres.

"Quando a igualdade avança um milímetro, as almas bondosas alertam-nos de imediato para o facto de que arriscamos todos cair em excesso", referem, alertando ainda que, em França, acontecem "centenas" de casos de violação e assédio sexual.

Questionam ainda: "Os porcos e os seus aliados estão inquietos?".

As cartas refletem os sentimentos mistos que se vive na França sobre as acusações generalizadas de má conduta sexual sistemática por homens poderosos que decorreram em vários países nos últimos meses.

No entanto, muitas pessoas concordam com as preocupações de Deneuve sobre um novo "puritanismo", que vai contra as tradições francesas de sedução.


Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...