Onze mortos em avalanches em Caxemira

Pessoas foram arrastadas por três avalanches que ocorreram quase em simultâneo

Os corpos de 11 pessoas foram resgatados hoje em Caxemira, numa zona controlada pela Índia, um dia depois de múltiplas avalanches terem atingido as suas viaturas, na região dos Himalaias, segundo as autoridades.

Pelo menos 13 pessoas foram arrastadas por três avalanches que ocorreram quase em simultâneo num espaço de quase 10 quilómetros numa estrada na montanha no distrito de Kupawara.

Um agente da polícia, Shamsher Hussain, disse que cerca de 200 oficiais e socorristas do exército e civis estavam envolvidos nas operações de resgate, em que foram recuperados 11 cadáveres.

Avalanches e derrocadas são frequentes em Caxemira e são responsáveis por elevadas taxas de mortalidade dos exércitos indiano e paquistanês acampados junto à fortemente militarizada linha de controlo que divide a região entre os dois países rivais.

No ano passado morreram pelo menos 20 soldados indianos e em 2012 uma avalanche de grandes dimensões na zona controlada pelo Paquistão vitimou 140 pessoas, incluindo 129 soldados paquistaneses.

Também hoje, pelo menos quatro polícias foram mortos por uma bomba que detonou numa rua na cidade de Sopore (noroeste), em mais um ataque no conflito sobre a posse total de Caxemira, que a Índia e o Paquistão reclamam.

Grupos rebeldes na região reclamam que Caxemira seja unida quer sob administração paquistanesa ou como um país independente.

A Índia acusa o Paquistão de armar e treinar os rebeldes, o que Islamabad nega.

O sentimento anti-Índia é profundo na região e a maioria das pessoas apoiam a causa rebelde contra a gestão indiana, além de participarem em protestos civis.

Perto de 70 mil pessoas morreram desde a revolta e a resposta militar da Índia desde 1989.

Ler mais

Exclusivos