Oito estrangeiros entre os 128 mortos

Além do português, estão ainda um espanhol, dois belgas, dois romenos e duas tunisinas são os estrangeiros contabilizados entre os mortos

Um português, um espanhol, dois belgas, dois romenos e duas tunisinas foram os estrangeiros identificados até ao momento entre os 128 mortos dos atentados, segundo confirmação das autoridades dos respetivos países

Os investigadores dos seis atentados perpetrados na capital francesa identificaram já "várias dezenas" dos mortos, informou a ministra da Justiça francesa, Christiane Taubira, frisando que o processo "requer algum tempo, mas sobretudo rigor".

A ministra não deu informações sobre a presença de estrangeiros entre as vítimas mortais, mas autoridades dos países afetados confirmaram já algumas mortes.

Para além do português, de 63 anos, que morreu perto do Stade de France e que trabalhava no transporte de passageiros e residia em França, está também um espanhol na lista Em Madrid, o governo confirmou a morte, Juan Alberto González Garrido, de 29 anos, residente em Paris e que estava com a mulher na sala de espetáculos Bataclan, outro dos alvos dos atentados, onde morreram 82 pessoas.

Na Bélgica, o Ministério dos Negócios Estrangeiros confirmou, por seu lado, a morte de dois cidadãos belgas, mas não adiantou pormenores.

A Roménia anunciou a morte de dois cidadãos romenos, também sem dar pormenores.

Duas tunisinas figuram igualmente na lista de vítimas mortais. Segundo o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Tunísia, trata-se de duas irmãs, de 34 e 35 anos, residentes na região de Creusot (centro-leste de França), que festejavam em Paris o aniversário de uma amiga.

A diplomacia da Suécia indicou, por seu lado, que pode haver um cidadão sueco entre os mortos e outro entre os feridos, mas que aguarda confirmação oficial das autoridades francesas.

Ler mais

Exclusivos