Guaxinim escalou um prédio de 23 andares e tornou-se um herói na internet

Um destemido guaxinim captou todas as atenções ao escalar um edifício de 23 andares no Minnesota, EUA. A aventura foi seguida pelos cibernautas que celebraram a chegada do animal ao telhado do prédio

A aventura de um guaxinim ao escalar um prédio de 23 andares no Minnesota, nos EUA, prendeu a atenção de milhares de cibernautas em todo o mundo. A subida do animal ao topo do edifico da empresa UBS demorou 22 horas e foi seguida através da hastag #mpraccoon nas redes sociais. O destemido guaxinim depressa se tornou num herói na internet.

Depois de uma tentativa de retirar o pequeno animal de um prédio vizinho, o guaxinim decidiu saltar para o edifício da UBS, um dos mais altos da cidade de Saint Paul. E foi aqui que começou a aventura do animal, que terminou com um final feliz, que é como quem diz no topo do arranha-céus são e salvo.

O intrépido guaxinim tornou-se viral a partir do momento em que Evan Frost e Tim Nelson, dois jornalistas da rádio local MPR New - situada no prédio em frente -, começaram a tirar fotografias e vídeos da escalada do animal, que depois partilharam nas redes sociais. A hastag #mpraccoon chegou a ser um trending topic do Twitter, ou seja um dos assuntos mais comentados na rede social.

Numa dessas partilhas, Evan Frost mostrou ao mundo o guaxinim a descansar da sua aventura no 23º andar do edifício.

Os jornalistas não estavam à espera que o assunto ganhasse uma dimensão global nas redes sociais."É meio absurdo que eu tenha tirado algumas fotos de um animal que as pessoas geralmente odeiam e acham nojento e, de repente, tem milhares de retweets e 'gostos'", disse Frost em declarações à BBC.

"Há guaxinins em todo o lado, mas não os vemos a escalar torres", acrescentou Tim Nelson.

Com nervos de aço, o pequeno animal deixava em suspenso milhares de cibernautas enquanto subia o prédio. "Foi emocionante. Nós não podíamos imaginar se iria terminar bem para ele", destacou Nelson à BBC.

Nas redes sociais, funcionários que estavam a trabalhar no edifício da UBS partilhavam fotos e vídeos da escalada do guaxinim durante todo o dia de terça-feira. E além da rádio MPR News, outros media locais interessaram-se pela história.

A história chegou a James Gunn, o realizador de "Guardiões da Galáxia", filme que tinha precisamente um guaxinim entre os protagonistas.

No Twitter, o cineasta mostrou-se preocupado com o animal e pediu para o salvarem daquela escalada que podia ser mortal. Mais! Gunn até escreveu que doava mil dólares (cerca de 850 euros), para fins de caridade, a quem ajudasse o "pobre" guaxinim.

A aventura do guaxinim "herói" terminou na madrugada desta quarta-feira. No telhado do prédio, o animal tinha à sua espera comida de gato e dois funcionários municipais que o recolheram são e salvo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.