"O Grande Resgate". Salvamento na Tailândia faz capa em todo o mundo

Fim da operação de salvamento dos 12 rapazes e do treinador que estiveram 18 dias presos numa gruta é destacada nos quatro cantos do globo

"Hooyah!" A expressão de ânimo e esperança que os Navy Seals tailandeses foram deixando no Facebook, ao longo dos últimos dias, saltou para a capa dos jornais que, nos quatro cantos do globo, noticiam hoje o final feliz da operação de salvamento dos 12 rapazes e do treinador que estiveram 18 dias fechados numa gruta. Como seria de esperar, o tema faz as manchetes na Tailândia:

O assunto está nas primeiras páginas um pouco por todo o mundo. O britânico The Guardian reservagrande parte da capa ao resgate dos 12 Wild Boars e do professor:

A notícia tem particular destaque nos países que tinham cidadãos nacionais na equipa de salvamento. É o caso da Austrália, que tinha 19 pessoas a trabalhar no resgate na gruta de Tham Luang, um dos quais o médico que viu as crianças e as considerou aptas a tentar a jornada de regresso. Richard Harris foi, aliás, o último membro da equipa de salvamento a sair da gruta.

Também na Europa, o resgate está nas primeiras páginas dos jornais:

E não só:

Ler mais

Premium

Henrique Burnay

Discretamente, sem ninguém ver

Enquanto nos Estados Unidos se discute se o candidato a juiz do Supremo Tribunal de Justiça americano tentou, ou não, há 36 anos abusar, ou mesmo violar, uma colega (quando tinham 17 e 15 anos), para além de tudo o que Kavanauhg pensa, pensou, já disse ou escreveu sobre o que quer que seja, em Portugal ninguém desconfia quem seja, o que pensa ou o que pretende fazer a senhora nomeada procuradora-geral da República, na noite de quinta-feira passada. Enquanto lá se esmiúça, por cá elogia-se (quem elogia) que o primeiro-ministro e o Presidente da República tenham muito discretamente combinado entre si e apanhado toda a gente de surpresa. Aliás, o apanhar toda a gente de surpresa deu, até, direito a que se recordasse como havia aqui genialidade tática. E os jornais que garantiram ter boas fontes a informar que ia ser outra coisa pedem desculpa mas não dizem se enganaram ou foram enganados. A diferença entre lá e cá é monumental.