O dia errado, adiar "até ao fim" e o Inferno vazio: momentos de riso na tragédia do Brexit

Após longas horas de negociações no Conselho Europeu de quinta-feira em Bruxelas, a conferência de imprensa do presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, e do presidente da Comissão, Jean-Claude Juncker, foi marcada por momentos de humor.

"Se o Acordo de Saída não for aprovado até final da próxima semana pela Câmara dos Comuns do Parlamento britânico, o Conselho Europeu aceita uma extensão do Brexit até 20 de abril... 12, 12 de abril!". Após longas horas de negociações em Bruxelas, com os líderes dos 27 Estados-membros da União Europeia a terem de decidir o que fazer em relação à saída do Reino Unido da UE, prevista para 29 de março, o pequeno lapso de Donald Tusk sobre a nova data acordada arrancou risos aos jornalistas reunidos para a conferência de imprensa final do primeiro dia do Conselho Europeu.

Ao lado do presidente do Conselho Europeu, Jean-Claude Juncker também não resistiu a dar uma gargalhada. Mas o próprio presidente da Comissão Europeia protagonizou um momento divertido durante a mesma conferência de imprensa. Questionado por um dos jornalistas sobre quanto pode durar "uma extensão longa", começou por tentar dar a vez a Tusk para responder. Mas perante as reticências do polaco que lhe pergunta: "Fazes ideia?", lá acaba por responder: "Dura até ao fim". Gargalhadas na sala.

Mas a reunião não terminaria sem novo momento de humor europeu. Há algumas semanas, Donald Tusk tinha causado indignação entre os responsáveis britânicos ao afirmar que havia "um lugar especial no Inferno" para aqueles que promoveram o Brexit. Na noite de quinta para sexta-feira, questionado por uma jornalista se esse lugar no Inferno devia ser alargado caso os deputados britânicos rejeitem o acordo de saída pela terceira vez na próxima semana, o presidente do Conselho Europeu lembrou que "segundo nosso Papa o Inferno está vazio. Por isso há lá muito espaço".

Estes três momentos de riso remataram mais uma noite de tensão em Bruxelas. Após longas horas de negociações, a UE aceitou a extensão do Brexit até ao dia 22 de maio, desde que o acordo de retirada seja aprovado em Londres na próxima semana. Caso contrário a extensão será mais curta, até 12 de abril.

"Se o Acordo de Saída não for aprovado pela Câmara dos Comuns na próxima semana, o Conselho Europeu concorda com uma prorrogação até 12 de abril de 2019 e espera que o Reino Unido indique, antes dessa data, um caminho a seguir, para que seja analisado pelo Conselho Europeu", lê-se no texto aprovado, por todos os líderes da União Europeia.

​​​​

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

"Petróleo, não!" Nesta semana já estivemos perto

1. Uma coisa é termos uma vaga ideia de quão estupidamente dependemos dos combustíveis fósseis. Outra, vivê-la em concreto. Obrigado aos grevistas. A memória perdida sobre o "petróleo" voltou. Ficou a nu que temos de fugir dos senhores feudais do Médio Oriente, das oligopolísticas, campanhas energéticas com preços afinados ao milésimo de euro e, finalmente, deste tipo de sindicatos e associações patronais com um poder absolutamente desproporcionado.