Número de mortos em deslizamentos de terra na Califórnia sobe para 18

Balanço das vítimas mortais nos deslizamentos provocados por fortes tempestades na Califórnia, oeste dos Estados Unidos, foi ontem atualizado pelas autoridades

O xerife do condado de Santa Barbara, Bill Brown, afirmou que foi encontrado nesta sexta-feira um homem, de 87 anos, morto em sua casa pelas equipas de resgate que estão no terreno, aumentando de 17 para 18 o número de mortes confirmadas.

Muitas casas situadas em vales devastados pela recente vaga de incêndios foram destruídas por deslizamentos de terra provocados por fortes tempestades que começaram na madrugada de terça-feira.

As vítimas mortais são todas residentes em Montecito, no noroeste de Los Angeles, com idades entre os 03 e os 89 anos

Bill Brown disse ainda que a pessoa encontrada morta constava na lista de desaparecidos e que ainda existem cinco pessoas desaparecidas, com idades entre os 2 e os 53 anos.

Os deslizamentos em Montecito, a comunidade mais abastada de Santa Barbara, começaram na madrugada de terça-feira e já estavam em curso quando as autoridades de Santa Barbara começaram a enviar alertas por sms.

Nos dias anteriores, contudo, houve sucessivos alertas para o risco de deslizamento de lama em resultado das tempestades em zonas devastadas por incêndios florestais.

Ler mais

Exclusivos

Ricardo Paes Mamede

DN+ Queremos mesmo pagar às pessoas para se reproduzirem?

De acordo com os dados do Banco Mundial, Portugal apresentava em 2016 a sexta taxa de fertilidade mais baixa do mundo. As previsões do INE apontam para que a população do país se reduza em mais de 2,5 milhões de habitantes até 2080, caso as tendências recentes se mantenham. Segundo os dados da OCDE, entre os países com economias mais avançadas Portugal é dos que gastam menos com políticas de apoio à família. Face a estes dados, a conclusão parece óbvia: é preciso que o Estado dê mais incentivos financeiros aos portugueses em idade reprodutiva para que tenham mais filhos.