Nove milhões em cocaína nesta estátua de diamantes

Apreensão recorde de cocaína em estátua de cabeça de cavalo com diamantes na Nova Zelândia

A polícia da Nova Zelândia anunciou hoje ter apreendido cocaína escondida numa estátua de uma cabeça de cavalo encrustada de diamantes procedente do México, no valor recorde de 14 milhões de dólares neozelandeses (9 milhões de euros).

A maior apreensão de droga da Nova Zelândia tem sido associada à reconstrução da cidade de Christchurch, gravemente danificada pelo sismo de 2011, e ao mercado australiano.

Virginia Le Bas, inspetora superintendente da unidade de crime organizado, disse que as autoridades estavam ainda a tentar apurar o destino final da droga apreendida.

É uma vitória significativa para a Nova Zelândia

O carregamento de 25 quilogramas foi transportado via aérea do México para Auckland, onde foi detetada na estátua da cabeça de cavalo cravada de joias em maio.

Na sequência de seis semanas de investigação, um mexicano e um norte-americano foram detidos em Auckland no fim de semana, quando se preparavam para seguir para o Havai, enquanto outro mexicano foi detido em Christchurch.

A polícia suspeita que pelo menos parte da droga estivesse destinada a Christchurch que tem atraído, nos últimos anos, trabalhadores de todo o mundo por causa das operações de reconstrução da cidade.

Segundo indicou, Virginia Le Bas, a reconstrução criou uma mudança na procura por algumas substâncias ilícitas.

Chris Wilkins, investigador da Universidade Massey, disse aos jornalistas que a droga também poderia ter como destino a Austrália, onde a procura, em cidades como Sydney e Melbourne, é elevada.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).