Neonazis atacam restaurante vegano com salsichas

Os homens agrediram os clientes do restaurante e a confusão só parou quando os vizinhos chamaram a polícia

Um café vegano foi atacado por militantes da extrema-direita, em Tbilisi, na Geórgia. Os atacantes atiraram carne e peixe aos clientes do restaurante e os donos dizem que não foi uma partida, mas sim intimidação.

O caso aconteceu este domingo na capital da Geórgia, quando mais de uma dúzia de homens entraram no restaurante Kiwi com salsichas penduradas ao pescoço. Os homens, que fazem parte de um conhecido grupo neonazi da zona, segundo a BBC, começaram a comer e a atirar aos clientes pedaços de carne e peixe. "Eles trouxeram carne grelhada, salsichas e peixe", contaram os donos do restaurante numa publicação do Facebook.

Quando lhes foi pedido para saírem do local começou uma luta que só foi interrompida quando os vizinhos se aperceberam da confusão e chamaram a polícia.

O grupo conseguiu fugir do local antes de a polícia chegar mas as autoridades garantem que estão a investigar o caso. Já foram interrogados os atacantes e os funcionário do café, mas ninguém foi detido, segundo a BBC.

Os clientes do restaurante Kiwi são conhecidos por ter um estilo diferente, com tatuagens e piercings, segundo a BBC, e por defenderem os direitos da comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgénero) e dos animais.

Os donos do restaurante não consideraram a ação como uma partida inocente, mas sim como "uma tentativa de intimidação por parte de fascistas". Na página do Facebook do restaurante, eles descrevem os invasores como violentos e dizem que a luta começou porque um dos atacantes empurrou uma mulher para o chão.

Na publicação, é dito ainda que os agentes da polícia também tiveram uma atitude pouco amigável quando chegaram. "Um dos polícias foi muito agressivo, empurrou-nos, gritou connosco e disse que nós éramos culpados por tudo o que aconteceu", contam os responsáveis pelo restaurante.

Ler mais

Exclusivos