Trump destaca "excelente relação" com Merkel

Antes dos elogios a Angela Merkel, o presidente dos EUA acusou a Alemanha de estar refém da Rússia por causa da construção do gasoduto que atravessa o mar Báltico

O Presidente norte-americano, Donald Trump, assegurou esta quarta-feira manter "uma excelente relação" com Angela Merkel, após um encontro bilateral com a chanceler alemã à margem da cimeira da NATO, em Bruxelas.

"Foi uma ótima reunião. Debatemos as despesas em Defesa e o comércio. Temos uma excelente relação", resumiu Trump, poucas horas depois de ter acusado a Alemanha de estar refém da Rússia por causa do investimento na construção do gasoduto Nord Stream II, que liga diretamente os dois países.

"A Alemanha está prisioneira da Rússia porque importa de lá uma grande parte da sua energia", declarou Trump, durante um pequeno-almoço com o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla inglesa), Jens Stoltenberg.

Trump reconheceu que o tema Nord Stream II esteve em cima da mesa, mas escusou-se a dar mais detalhes.

"Tivemos a oportunidade de falar sobre questões como o desenvolvimento económico, as migrações e o futuro das nossas relações comerciais", disse Merkel após a reunião com Trump

No final do encontro, Angela Merkel, que antes do arranque da cimeira da NATO sublinhou a independência das decisões de Berlim, declarou-se também satisfeita pela troca de impressões com o Presidente dos Estados Unidos.

"Tivemos a oportunidade de falar sobre questões como o desenvolvimento económico, as migrações e o futuro das nossas relações comerciais", acrescentou.

A cimeira da Aliança Atlântica decorre hoje e quinta-feira na nova sede da organização, em Bruxelas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.