Nando's quer que o Fernando's mude de nome e símbolo

Em causa está o nome, o símbolo e o menu de um restaurante independente em Reading, no Reino Unido

Um pequeno restaurante em Reading, Inglaterra, está a ser alvo da grande cadeia de restaurantes Nando's, conhecida pelo frango assado à moda portuguesa, e o responsável pelo mesmo diz estar a sofrer bullying.

Asam Aziz diz ter recebido uma carta dos advogados da cadeia Nando's, em que se lia que o restaurante de Aziz, o Fernando's, estava a infringir a propriedade intelectual da Nando's.

"Sou apenas um empresário independente, eles estão a fazer bullying e isto tem sido uma grande preocupação. Pensei em começar algo novo, uma marca minha, mas isto criou uma grande tempestade", afirmou Asam Aziz à BBC.

Explicou ainda que ele e dois amigos tiveram a ideia de fazer um restaurante de estilo português que servisse frango e escolheram uma variação do galo de Barcelos como símbolo. Acontece que o Nando's também tem um desenho inspirado no mesmo símbolo nacional.

O nome, também bastante semelhante, foi inspirado num programa de televisão, diz o responsável pelo Fernando's., que é acusado de copiar o nome e o símbolo da outra cadeia de restaurantes. "Acreditamos que estão a tentar beneficiar de algumas das coisas que fazem de nós quem somos", afirmou a Nando's, que pretende que o Fernando's mude as suas características.

"Porque é que não me contactaram logo no início? Acho que eles estão com medo de mim e do meu menu", acrescentou Asam Aziz.

Um porta-voz do Nando's afirmou: "Estamos muito orgulhoso da nossa marca e sabemos que significa muito para os nossos clientes. E, por isso, achamos que sempre que existe infração de direitos tentamos resolver as coisas de forma amigável".

A cadeia de restaurantes Nando's foi fundada pelo português Fernando Duarte, em 1987, na África do Sul. Tem atualmente restaurantes em aproximadamente 30 países, mas o local em que tem maior sucesso é, muito provavelmente, o Reino Unido.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...