Nadador australiano, de 99 anos, bate recorde mundial

George Corones bateu o recorde mundial na sua categoria, nos 50 metros livres

Aos 99 anos, o nadador George Corones bateu o recorde mundial nos 50 metros livres na sua faixa etária, entre os 100 e os 104 anos. A marca do australiano foi aceite, uma vez que completa 100 anos em abril. Corones terminou a prova em 56,12 segundos.

O nadador estava "bastante satisfeito" no final da prova, que decorreu em Gold Coast, em Queensland, na Austrália, que vai receber os Jogos da Commonwealth já no próximo mês.

"Foi uma prova exemplar para mim, bem equilibrada", disse o australiano à BBC. "Nesta idade ficamos cansados mais facilmente, mas se usarmos a nossa sensibilidade as recompensas são astronómicas", explicou o nadador, que atribuiu o seu sucesso ao ritmo e técnica que usa durante as provas.

Corones começou a nadar em criança. Deixou a natação no início da Segunda Guerra Mundial, mas retomou a modalidade aos 80 anos, para praticar exercício.

George Corones vai agora tentar bater o recorde mundial de 100 metros livres este sábado à noite. "Não sou novo de maneira nenhuma, mas estou ansioso pela prova e confiante que vou fazer bem", disse.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.