Presidente da FIFA convida crianças presas em gruta na Tailândia a assistirem à final do Mundial 2018

"A FIFA ficaria muito feliz em convidá-los a assistir à final do campeonato do mundo", escreveu Gianni Infantino, em carta endereçada à federação tailandesa

A FIFA anunciou hoje que vai convidar as 12 crianças presas numa gruta inundada no norte da Tailândia a assistirem à final do Mundial2018 de futebol, caso sejam resgatadas a tempo e em condições de viajar até à Rússia.

"Se, como espero, reencontrem os seus familiares nos próximos dias e o seu estado de saúde lhes permita viajar, a FIFA ficaria muito feliz em convidá-los a assistir à final do campeonato do mundo", escreveu o presidente da FIFA, Gianni Infantino, em carta endereçada à federação tailandesa.

O organismo regulador do futebol mundial disse "esperar, sinceramente, que possam estar presentes na final", agendada para 15 de julho, em Moscovo, apesar de as autoridades tailandesas já terem admitido que as operações de resgate poderão prolongar-se por vários meses.

As crianças, membros de uma equipa de futebol, com idades compreendidas entre 11 e 16 anos, e o seu treinador, de 25 anos, estão presos há 13 dias numa gruta no norte da Tailândia, depois de fortes chuvadas terem inundado várias galerias, impossibilitando a saída.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.