História mal contada? Mulheres à deriva não usaram o EPIRB

O oficial reformado Phillip R. Johnson garante que se o dispositivo de emergência tivesse sido ativado o veleiro seria imediatamente localizado e as mulheres rapidamente resgatadas

A guarda costeira dos Estados Unidos revelou na passada segunda-feira que as duas mulheres de Honolulu que foram resgatadas no oceano Pacífico, juntamente com os dois cães, depois de andarem a deriva durante cinco meses, tinham um dispositivo de emergência que nunca ativaram.

Segundo o The Guardian, Jennifer Appel e Tasha Fuiaba mencionaram ter meios de comunicação que usaram para tentar pedir ajuda, mas nunca revelaram que tinham o dispositivo de emergência EPIRB (Emergency position-indicating rádio beacons) a bordo do veleiro. Este dispositivo envia as coordenadas do local onde é ativado e isso pode acontecer manualmente ou automaticamente quando fica submerso.

"Perguntámos porque é que durante esse período de tempo não ativaram o EPIRB. Afirmaram que nunca se sentiram realmente em perigo, como se fossem morrer em 24 horas", disse um membro da guarda costeira.

O oficial reformado Phillip R. Johnson, responsável por operações de busca e resgate, garante que se o EPIRB fosse ativado o veleiro seria imediatamente localizado e as mulheres rapidamente resgatadas.

As havaianas afirmaram que nenhum dos aparelhos de comunicação que possuíam a bordo funcionou, mas Phillip R. Johnson considera que "essas falhas são muito raras". "Algo está errado aqui", acrescentou.

Vários especialistas consideram que a história das sobreviventes não está bem contada. Segundo o porta-voz da guarda costeira dos EUA Scott Carr, após uma análise ao incidente uma das dúvidas é a ocorrência da tempestade que as havaianas dizem ter enfrentado em maio. De acordo com os registos do Serviço Nacional Meteorológico não foi detetada nenhuma tempestade no local.

Sott Carr revelou também que em junho, depois das duas mulheres ficarem com problemas nos motores, a guarda costeira entrou em contacto com um barco, que navegava perto de Tahiti. A embarcação que se identificou como "Ninfa do Mar" afirmou não estar em perigo e disse que esperava desembarcar na manhã seguinte.

As duas mulheres e os dois cães foram resgatados pela Marinha dos EUA, no dia 25 de outubro, depois de andarem à deriva no Oceano Pacífico por quase cinco meses. As havaianas alegaram que o motor do veleiro ficou danificado depois de uma tempestade, mas ainda tinham esperança de regressar a terra com o recurso às velas e ao vento.

Exclusivos