Motorista fazia direto no Facebook. Morreram nove pessoas

Ocupantes eram trabalhadores agrícolas de origem romena

Um acidente com uma carrinha que resultou na morte de nove pessoas - todos os ocupantes do veículo - aconteceu quando o motorista estava a transmitir a viagem em direto pelo Facebook.

A carrinha embateu contra um camião, na tarde desta terça-feira, na Hungria.

Quatro dos mortos tinham nacionalidade romena, de acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Hungria, que já está a prestar auxílio às famílias das vítimas.

Os outros cinco passageiros serão também romenos, de acordo com o Euronews, mas não existe ainda confirmação oficial.

Os oito ocupantes da carrinha e o motorista regressavam da Eslovénia, onde trabalhavam na agricultura sazonal.

Segundo a imprensa da Hungria, entre as vítimas estavam dois casais, um deles com seis filhos e o outro com três crianças menores.

Segundos antes do acidente a viagem ainda era transmitida em direto.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Tempo de fugir de casa para regressar à terra

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.