Moscovici diz que a Itália é um "país sólido" após demissão de Renzi

"Confio que a Itália vai enfrentar a situação", disse o comissário europeu para os Assuntos Económicos

O comissário europeu Pierre Moscovici defendeu hoje que a Itália é um "país sólido", prevendo que os italianos vão fazer face ao período de incerteza política provocado pela demissão do primeiro-ministro Matteo Renzi.

"Trata-se de um país sólido, com instituições sólidas, e confio que a Itália vai enfrentar a situação", disse o comissário europeu para os Assuntos Económicos da União Europeia, entrevistado pela estação de televisão France 2 sobre o resultado do referendo em Itália.

Os italianos votaram em referendo no domingo uma reforma constitucional que visava reduzir o poder do Senado, mas que se transformou num plebiscito ao primeiro-ministro, Matteo Renzi.

A derrota de Renzi no referendo pode ter impacto económico, como sugere a repetida subida das taxas de juro da dívida soberana das últimas semanas e a preocupação crescente com os créditos de cobrança duvidosa que ensombram a banca italiana.

A derrota de Renzi pode também reforçar a posição de partidos populistas como a Liga do Norte e o M5E, que defendem a realização de um referendo sobre a permanência de Itália na Zona Euro.

Moscovici frisou que, do ponto de vista económico, a Itália "tem uma grande economia", apesar de reconhecer que se verificava uma situação de instabilidade política no país desde o final da II Guerra Mundial.

Ler mais

Exclusivos