Morreu Rick Genest, o modelo conhecido como "Zombie Boy"

Manequim terá tirado a própria vida. Lady Gaga classificou a morte do canadiano de "devastadora"

Rick Genest, o manequim conhecido como "Zombie Boy", devido ao corpo coberto de tatuagens de ossos e órgãos, foi encontrado morto, aos 32 anos, na sua casa, em Montreal. A polícia suspeita que terá cometido suicídio, seis dias antes do seu 33º aniversário.

Genest começou a tatuar o corpo aos 16 anos e chegou a viver nas ruas do Canadá, até chamar a atenção de Lady Gaga, que o convidou para participar no videoclipe da música "Born this Way", em 2011. A participação trouxe reconhecimento mundial ao canadiano.

Lady Gaga manifestou pesar pela morte do "Zombie Boy", classificando a morte do modelo de "devastadora" e alertou para a importância da saúde mental.

"Temos que nos esforçar mais para mudar a cultura, trazer a saúde mental para o primeiro plano e acabar com o estigma de que não podemos falar sobre isso", escreveu a cantora na rede social Twitter. "Se está a sofrer, ligue para um amigo ou família ainda hoje. Devemos salvar-nos", acrescentou.

Rick Genest desfilou para o estilista francês Thierry Mugler, apareceu na Vogue Japan e foi o rosto da marca Rocawear, do rapper Jay-Z.

Recorde o vídeo oficial de "Born This Way":

Linha de ajuda para prevenção do suicídio SOS Voz Amiga: 213 544 545 - 912 802 669 - 963 524 660 / Diariamente das 16h às 24h
Linha Verde gratuita - 800 209 899 / Entre as 21.00 e as 24.00 horas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.