Morreu o orangotango que comunicava em língua gestual

Chantek tinha 39 anos e foi um dos primeiros primatas a aprender língua gestual

O orangotango Chantek, um dos primeiros primatas a aprender língua gestual, morreu aos 39 anos no jardim zoológico de Atlanta, Geórgia.

As causas da morte são ainda desconhecidas, apesar de o orangotango sofrer há vários anos de uma doença cardíaca progressiva. Ainda assim, Chantek era um dos machos mais velhos da sua espécie, sendo que os orangotangos são considerados idosos a partir dos 35 anos.

Antes de habitar o jardim zoológico, Chantek viveu durante nove anos com o antropóloga Lyn Miles, aprendendo a limpar o quarto, a criar e utilizar ferramentas e a memorizar o trajeto até um restaurante de fast food.

O orangotango era um dos poucos primatas que conseguia comunicar com recurso a língua gestual, recorrendo frequentemente a esta linguagem para comunicar com os tratadores do jardim zoológico. Chantek foi ainda protagonista do documentário "The Ape Who Went to College" ("O macaco que foi à universidade", numa tradução literal) lançado em 2014, que mostrava as habilidades que o orangotango havia aprendido.

Num comunicado, o jardim zoológico de Atlanta afirmou que Chantek "tinha uma personalidade única e envolvente e formas especiais de se relacionar e comunicar com aqueles que melhor o conheciam. Foi um privilégio tê-lo connosco durante 20 anos e ter a oportunidade de lhe oferecer um ambiente naturalista onde ele pudesse conhecer e viver com a sua família de orangotangos."

O Zoo afirmou ainda que a falta de Chantek será "para sempre sentida pela sua família".

Ler mais

Exclusivos