Morreu no zoo de Perth o orangotango mais velho do mundo

Puan tinha 62 anos e foi submetida a uma eutanásia na sequência de problemas de saúde associadas à sua idade avançada

O orangotango mais velho do mundo morreu aos 62 anos no jardim zoológico de Perth, no norte da Austrália, deixando 54 descendentes, anunciou esta terça-feira a instituição.

O animal, de sexo feminino e chamado Puan, foi submetido na segunda-feira a uma eutanásia devido a complicações de saúde associadas à sua avançada idade.

"É sempre difícil tomar esta decisão para qualquer animal, mas foi o caminho certo para acabar de forma digna com a vida de uma fêmea que sempre mereceu respeito ao longo da sua vida", disse Holly Thompson, supervisora de primatas na instituição, numa mensagem colocada no portal do jardim zoológico na Internet.

A esperança média de vida dos orangotangos não costuma exceder os 50 anos, o que fez da sexagenária Puan um caso único.

Segundo o livro dos recordes do Guinness, Puan nasceu em 1956 e foi transferida 12 anos depois para o jardim zoológico de Perth, a partir da Malásia, onde vivia no zoológico privado do sultão de Johore.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.