"Missão cumprida". O labrador Sully acompanhou George H. W. Bush até ao fim

Labrador que foi companheiro e ajudante do antigo presidente dos Estados Unidos ao longo dos últimos seis meses foi fotografado deitado ao lado do caixão, em Washington

"Missão Cumprida". É com esta breve legenda que o Instagram de Sully, o cão de serviço de George Bush nos seus últimos meses, acompanha uma imagem do labrador deitado ao lado do caixão do antigo presidente norte-americano, que morreu na sexta-feira aos 94 anos.

Batizado em homenagem ao piloto Chesley "Sully" Sullenberger, da US Airways, que em 2009 conseguiu pousar um avião comercial no Rio Hudson, em Nova Iorque, e salvar os 155 passageiros que seguiam a bordo, o labrador de dois anos de idade tinha sido cedido ao ex-presidente pela American Vet Dogs, uma instituição dedicada a treinar cães de companhia para acompanharem veteranos de guerra. Foi-lhe entregue em junho, pouco depois da morte da antiga primeira-dama Barbara Bush.

Foi o próprio 41.º presidente dos Estados Unidos, que serviu na Marinha durante a Segunda Guerra Mundial, a anunciar ao mundo a chegada a sua casa deste cão de companhia que, desde então, se tornou numa presença habitual nas ocasionais aparições públicas do antigo chefe Estado, que estava debilitado e preso a uma cadeira de rodas há alguns anos.

Depois de ter acompanhado Bush pai na sua última viagem até Washington, Sully - treinado para realizar tarefas como abrir e fechar portas, trazer objetos e até atender o telefone - deverá entrar em breve ao serviço de outro veterano.