Ministro do Interior alemão demite-se em conflito com Merkel

O ministro do Interior alemão, Horst Seehofer, em conflito com a chanceler Angela Merkel sobre a política migratória, demitiu-se do cargo, indicaram à agência France-Presse fontes próximas do seu partido bávaro CSU.

Seehofer anunciou a decisão no decurso de uma reunião à porta-fechada da União Social Cristã (CSU) em Munique (sul), que prosseguia durante a noite de hoje. As mesmas fontes indicaram que também pretende abandonar a liderança do partido conservador da Baviera, que integra a "grande coligação" com a CDU de Merkel e os sociais-democratas do SPD.

"Pretende demitir-se do seu cargo de ministro e de presidente do partido" por considerar "não garantir o apoio necessário", indicou uma das fontes.

Os mesmos responsáveis não indicaram no imediato o que poderá significar esta decisão para o futuro do Governo alemão. Seehofer deverá entretanto divulgar a sua posição em conferência de imprensa.

O conflito interno dos conservadores alemães está relacionado com o tratamento dos imigrantes que chegam à Alemanha, mas que já se encontram registados em outros países europeus.

O ministro defendia o seu reenvio para a fronteira, uma opção rejeitada por Angela Merkel para não criar um "efeito dominó" na Europa.

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.