Milhares nas ruas de Lima pelo fim da violência contra as mulheres

O Peru é o país da América Latina com o segundo maior número de violações, a seguir à Bolívia

Milhares de mulheres marcharam, este sábado, pelas ruas da capital do Peru, Lima, contra a violência contra as mulheres, um assunto que suscita forte preocupação em inúmeros países da América Latina.

Ecoando 'slogans' como "Nem mais uma!" ou "Parem com os maus-tratos e com a violência", as manifestantes também reivindicarem castigos mais severos para os agressores.

Cinco mulheres do elenco governativo do Presidente peruano, Pedro Kuczynski, também participaram na marcha, durante a qual uma jovem manifestante exibiu um cartaz com a mensagem: "Desculpem estar a incomodar, mas estamos a ser mortas!".

O Peru figura como o país da América Latina com o segundo maior número de violações, a seguir à Bolívia, com o registo de 3.125 casos entre janeiro e setembro deste ano, segundo observadores internacionais.

O número de assassínios de mulheres é igualmente elevado: mais de 130 desde o início do ano, contra 107 em 2016, num país de 30 milhões de habitantes.

A violência contra as mulheres é "um problema generalizado que afeta a nossa sociedade. E, infelizmente, pouca coisa mudou", declarou a ativista Fabiola Maza, uma das organizadoras da marcha de sábado, citada pela agência de notícias francesa AFP.

Paris ou Madrid, por exemplo, também foram palco de grandes manifestações para assinalar o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra a Mulher.

Ler mais

Exclusivos