O convite era para amigos e vizinhos, mas apareceram milhares

Vídeo fazia convite: apareçam todos. Era apenas para amigos e vizinhos mas foi visto por milhões. Uma companhia aérea até fez descontos nas viagens

Os pais de Rubi Ibarra fizeram um vídeo em que faziam o convite: apareçam na festa do 15.º aniversário da nossa filha, diziam, enumerando de seguida algumas das atrações da comemoração, a ter lugar em La Joya, no México. Só que o vídeo tornou-se viral na Internet e, em vez de aparecerem apenas os amigos e vizinhos, apareceram milhares de pessoas. Apesar disso, a festa ficou marcada pela morte de um homem numa corrida de cavalos.

A responsabilidade pela divulgação do vídeo foi de um fotógrafo local, que o colocou no Facebook. A partir daí, foi amplamente divulgado nas redes sociais e no Youtube, tendo tido milhões de visualizações. Crescencio e Anaelda Ibarra faziam o convite para o 15.º aniversário da filha Rubi, a tradicional quinceañera, que marca a chegada à vida adulta, uma forma de apresentar a jovem à comunidade.

"Toda a gente está convidada", diziam. Assim, mais de um milhão de pessoas confirmou ir à festa, que incluía comida, música ao vivo e corridas de cavalos com prémio monetário.

O caso foi sendo noticiado, a família deu entrevistas na televisão, mas Crescencio Ibarra garantia no Facebook que "onde comem quatro comem cinco". As paródias na Internet também se foram multiplicando e até Gael García Bernal fez um vídeo a gozar a situação.

As autoridades começaram a mobilizar-se para o evento, aumento a segurança e a assistência médica. Uma companhia aérea ofereceu descontos de 30% a quem viajasse para o estado de San Luis Potosi com o slogan "Vai à festa da Rubi?".

Na segunda-feira, finalmente, realizou-se a festa. Com música ao vivo, comida e milhares de pessoas.

Mas uma tragédia marcou o evento: um homem de 66 anos morreu durante uma corrida de cavalos, depois de, ao que tudo indica, se ter atravessado no percurso. Um outro ficou ferido.

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.