Portugal e mais sete países vão receber 49 migrantes bloqueados em Malta

Migrantes estão há duas semanas ao largo de Malta à espera que os navios humanitários que os resgataram no Mediterrâneo tenham autorização para atracar.

Portugal e outros sete países europeus vão receber os 49 migrantes resgatados há cerca de duas semanas e que permanecem no mar ao largo de Malta, nos termos de um acordo anunciado hoje pelo governo maltês.

O acordo, anunciado pelo primeiro-ministro de Malta, Joseph Muscat, põe termo a um impasse que começou depois de 32 pessoas terem sido resgatadas pelo navio humanitário alemão Sea-Watch a 22 de dezembro, a que se seguiu o resgate de 17 outras pessoas a 29 de dezembro por outro navio humanitário alemão, o Sea-Eye.

Itália e Malta recusam que navios privados de salvamento desembarquem migrantes nos seus portos.

O acordo prevê que os migrantes sejam transportados em navios militares até Malta, mantendo a proibição aos navios privados de aportar, e depois transferidos para a Alemanha, França, Holanda, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Portugal e Roménia.

"Os migrantes vão ser transferidos dos navios para barcos de patrulha malteses e ser trazidos para Malta. Os navios de resgate recebem ordens para deixar as águas da ilha", disse Muscat aos jornalistas.

Segundo oprimeiro-ministro, foi alcançado um acordo para que 249 outros migrantes que foram levados para Malta em dezembro sejam redistribuídos pela União Europeia ou, no caso de 44 cidadãos do Bangladesh, serão reenviados para o país de origem.

Exclusivos