Magistrado italiano que investiga Salvini recebeu ameaça de morte

Luigi Patronaggio recebeu um envelope com uma bala de arma de guerra e uma mensagem onde se pode ler "pobre miserável, estás na nossa mira"

O magistrado que desencadeou um inquérito contra o ministro do Interior italiano Matteo Salvini por sequestro de pessoas no âmbito do caso dos imigrantes bloqueados no navio Diciotti recebeu ameaças de morte, referiram os media esta quarta-feira.

Um envelope contendo uma bala de arma de guerra e uma mensagem referindo "pobre miserável, estás na nossa mira", com o símbolo da Gladio, uma organização paramilitar italiana ativa durante a Guerra Fria, foi enviada a Luigi Patronaggio, procurador em Agrigente, na Sicília, que no final de agosto abriu um inquérito contra Salvini.

Patronaggio indiciou Salvini de "sequestro de pessoas, prisões ilegais e abuso de poder" por ter retido durante vários dias cerca de 140 migrantes a bordo do navio da guarda-costeira italiana Diciotti.

O dossier foi, entretanto, transferido para a procuradoria de Palermo, capital da Sicília, que possui competência judicial face aos eventuais delitos cometidos por um ministro em exercício de funções.

Exclusivos

Premium

Líderes europeus

As divisões da Europa 30 anos após o fim da Cortina de Ferro

Angela Merkel reuniu-se com Viktor Orbán, Emmanuel Macron com Vladimir Putin. Nos próximos dias, um e outro receberão Boris Johnson. E Matteo Salvini tenta assalto ao poder, enquanto alimenta a crise do navio da ONG Open Arms, com 107 migrantes a bordo, com a Espanha de Pedro Sánchez. No meio disto tudo prepara-se a cimeira do G7 em Biarritz. E assinala-se os 30 anos do princípio do fim da Cortina de Ferro.