México deteve 205 polícias suspeitos de associação com grupos criminosos

Em maio, em San Martin Texmelucan, 200 polícias já tinham sido desarmados e afastados dos cargos por suspeita de conluio com grupos criminosos

As autoridades mexicanas detiveram na quinta-feira 205 polícias, numa ação que procurou combater as altas taxas de criminalidade naquele país e as ligações entre as forças de segurança e o crime organizado.

Dos 368 polícias que trabalhavam no município de Tehuacan, no estado de Puebla, "20 estavam em situação irregular", informou o secretário de Segurança Pública em Puebla, Jesus Morales.

As autoridades estaduais decidiram assumir o controlo da Polícia Municipal de Tehuacan e de outros serviços, suspeitos de ligações com o crime organizado.

"Assumimos o controlo da prisão, do departamento da polícia, do departamento de trânsito e do centro de resposta imediata", acrescentou Morales.

"Estamos preocupados com as possíveis omissões e cumplicidades que podem existir com o crime organizado", disse o secretário-geral do estado de Puebla, Diodoro Carrasco.

As autoridades procuram agora 113 agentes que não se apresentaram ao serviço no dia em que ocorreram as detenções.

Tehuacan, o terceiro município do estado de Puebla, está localizada a 252 quilómetros da Cidade do México, a capital, e tem 320 mil habitantes.

No mesmo estado, em San Martin Texmelucan, 200 polícias já tinham sido desarmados e afastados das suas funções a 02 de maio por suspeita de conluio com grupos criminosos.

Outras operações semelhantes foram realizadas este ano em outras regiões do país.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...