Meghan Markle lidera edição da Vogue com "mulheres inspiradoras"

Conversa com Michelle Obama e Jane Goodall são temas fortes de revista com foco nas mulheres "unidas pela coragem de quebrar barreiras" que a duquesa de Sussex ajudou a preparar durante sete meses.

A duquesa de Sussex é a editora da edição de setembro da revista Vogue, o mês mais importante do ano para esta publicação de acordo com a editora. Meghan Markle foi convidada para supervisionar a edição preparada pelo diretor Edward Enninful e, segundo este, recusou que a capa tivesse uma foto sua porque considerou que isso seria "arrogante".

Assim, a primeira página terá fotos de 15 mulheres que são "agentes de mudança, pioneiras, unidas pela coragem de quebrar barreiras", segundo explicou fonte do Palácio de Buckingham.

O tema da edição de setembro será "forças de mudança", e segundo o comunicado do palácio real nela participarão a atriz Jane Fonda, a ambientalista Greta Thunberg, a primeira-ministra da Nova Zelândia Jacinda Ardern e a modelo Christy Turlington Burns.

O relato de uma conversa entre Meghan e a antiga primeira-dama dos EUA, Michelle Obama e uma entrevista à primatóloga Jane Goodall, são os dois outros pontos fortes da edição. Meghan Markle trabalhou durante sete meses neste projeto que considerou "gratificante".

Edward Enninful, diretor da Vogue britânica, já adiantou que espera que os "leitores se sintam tão inspirados quanto eu pelas forças de mudança que encontrarão nessas páginas".

"Desde o início conversamos sobre a capa - se ela [Meghan Markle] estaria ou não. No final, sentiu que, de certa forma, seria uma coisa 'arrogante'. Ela queria, em vez disso, concentrar-se nas mulheres que admira ", acrescentou.

A edição de setembro da revista é considerada a mais importante do ano, pois é a que tem mais publicidade. A edição de 2012 com Lady Gaga na capa teve 916 páginas e pesava 2,5 kg.

Exclusivos

Premium

Betinho

"NBA? Havia campos que tinham baldes para os jogadores vomitarem"

Nasceu em Cabo Verde (a 2 de maio de 1985), país que deixou aos 16 anos para jogar basquetebol no Barreirense. O talento levou-o até bem perto da NBA, mas foi em Espanha, Andorra e Itália que fez carreira antes de regressar ao Benfica para "festejar no fim". Internacional português desde os Sub-20, disse adeus há seleção há apenas uns meses, para se concentrar na carreira. Tem 34 anos e quer jogar mais três ou quatro ao mais alto nível.