Reino Unido. Mais de 80 mil portugueses pediram estatuto de residente

Os residentes portugueses no país serão 400 mil. O processo de requerimento do estatuto de residente (ou "pré-residente") está a decorrer desde 30 de março e quase um milhão de cidadãos europeus já requereram o estatuto até ao final de junho. "Ninguém será deixado para trás", diz ministro do Interior. Prazo termina em 31 de dezembro de 2020. Polacos foram os recordistas nos pedidos.

De 30 de março, quando o requerimento foi disponibilizado gratuitamente através da internet, ao final de junho quase um milhão (909 300) de cidadãos da União Europeia já pediram o estatuto de residente no Reino Unido, necessário para depois do 'Brexit'. Destes, 80 900 são portugueses, divulgou esta quinta-feira o ministério do Interior britânico.

Destes requerimentos, 805 500 foram revistos, tendo todos sido recebido visto favorável; à maioria (65%) foi reconhecido estatuto de residente permanente, os restantes 35% ficaram com o estatuto de "pré-residente".

Os recordistas foram os cidadãos polacos, com 154 mil pedidos, seguidos pelos romenos (125 500) e italianos (106 100). Os portugueses vêm em quarto lugar, os espanhóis em quinto. A maioria dos pedidos (838 200) foram recebidos em Inglaterra; 45 200 na Escócia, 13 700 em Gales e 10 500 na Irlanda do Norte.

O estatuto de residente permanente (settled status) é atribuído àqueles com cinco anos consecutivos a viver no Reino Unido, enquanto que os que estão há menos de cinco anos no país terão um título provisório (pre-settled status) até completarem o tempo necessário.

"Ninguém será deixado para trás"

O ministro do Interior, Sajid Javid, mostrou-se satisfeito com o progresso deste sistema de regularização migratória para os cidadãos da União Europeia, Suíça, Noruega e Liechtenstein, aberto no âmbito do processo da saída do Reino Unido da UE.

"Em poucos meses, centenas de milhares de cidadãos da UE e as suas famílias garantiram os seus direitos. Este é um grande progresso, mas temos mais a fazer. Os cidadãos da UE e as suas famílias têm até 31 de dezembro de 2020 para se candidatarem e não queremos que ninguém seja deixado para trás", afirmou Javid esta quinta-feira.

O estatuto de residente no Reino Unido é obrigatório para depois do 'Brexit' e garante o acesso ao mercado de trabalho e a serviços públicos como a educação, saúde e serviços sociais. Durante as duas fases de teste, lançadas entre agosto de 2018 e março deste ano, mais de 230 mil europeus requereram o estatuto. Recorde-se que a data prevista para a saída do Reino Unido da UE era 29 de março, mas foi prorrogado para 31 de outubro.

O governo português estima que residam no Reino Unido cerca de 400 mil portugueses, o que significa que mais de 22% já requereram estatuto de residente.

Exclusivos