Mais de 200 voos cancelados hoje devido a novo nevão em Paris

Visitas à Torre Eiffel estão interditas até domingo

Mais de 200 voos com partida do aeroporto parisiense de Orly foram cancelados hoje devido a nova queda de neve na região da capital francesa, que levou também as autoridades a interditar as visitas à Torre Eiffel até domingo.

Fonte aeroportuária citada pela France Presse referiu que "os passageiros foram avisados e não apareceram no aeroporto, não criando qualquer dificuldade" e sublinhou que, para já, não estão "previstos para sábado quaisquer cancelamentos" de voos naquele aeroporto localizado a sul de Paris.

No aeroporto internacional de Roissy-Charles de Gaulle, a norte da capital francesa, não se registaram hoje cancelamentos de voos, apenas atrasos de 30 minutos em média, segundo a mesma fonte.

A circulação de comboios e metro não sofreu qualquer alteração e apenas se registou uma "ligeira interrupção" após o meio-dia nos transportes rodoviários de passageiros.

Na Torre Eiffel, a empresa responsável pelo monumento do século XIX decidiu o enceramento a visitas "para garantir a segurança dos visitantes" enquanto funcionários continuam a limpar a neve com pás, dada a impossibilidade do uso de sal porque pode corroer o metal da estrutura e danificar os elevadores.

A neve recomeçou a cair hoje em quase todo o país e as autoridades advertiram para as condições perigosas em aproximadamente um quarto da extensão de França.

No início da semana, a neve provocou grandes engarrafamentos em toda a região da capital francesa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".