Mãe obriga criança saudável a fazer 13 cirurgias

Christopher, de oito anos, chegou a receber oxigénio, deslocava-se numa cadeira de rodas e era alimentado através de um tubo, apesar de não estar doente

Kaylene Bowen é uma mãe do Texas que está atualmente presa por infligir ferimentos ao seu próprio filho, o pequeno Christopher, de oito anos.

A mulher levou a criança 323 vezes ao hospital, alegando que esta se encontrava doente, e submeteu-a a 13 cirurgias. O pai do menor diz que ela sofre de Síndrome de Munchhausen, uma doença psiquiátrica em que os indivíduos fingem doenças ou traumas psicológicos para chamar atenção ou simpatia para eles. Neste caso, Kaylene Bowen usou o filho para chamar a atenção.

Christopher foi retirado à mãe depois do Hospital de Dallas ter alertado as autoridades. Nos documentos da polícia, e de acordo com a CBS News, pode ler-se que os abusos médicos que a mãe infligiu à criança começaram quando o menino tinha apenas 11 dias e prolongaram-se até agora.

A mulher de 34 anos nega todas as acusações e alega que o filho sofre de cancro e de uma rara mutação genética e que precisa urgentemente de um transplante de pulmão.

Segundo a BBC, a criança chegou a receber oxigénio, deslocava-se numa cadeira de rodas e era alimentada através de um tubo, sem, no entanto, se encontrar doente. Por causa dos tratamentos médicos invasivos, Christopher sofreu três infeções no sangue. Durante anos, Kaylene Bowen conseguiu enganar médicos e enfermeiros, mas uma equipa médica acabou por concluir que a criança é saudável.

Ryan Crawford, o pai do rapaz, está separado de Bowen e disse que já suspeitava da ex-mulher. "Sempre que ia a tribunal pedir a guarda do meu filho, ela dizia que o Chrstopher estava às portas da morte. Nunca acreditei nela, mas o tribunal a creditou e nunca me concedeu a guarda", contou o progenitor de Christopher, citado pela CBS News.

De acordo com o pai do menor, a ex-mulher dizia em tribunal que o pai não podia estar com o filho porque "não sabia cuidar dele", tendo em conta os alegados problema de saúde do menino.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.