Macron recusa extensão do artigo 50 sem "objetivo claro"; Merkel a favor

Presidente francês e chanceler alemã estiveram reunidos no Palácio do Eliseu.

O presidente francês, Emmanuel Macron, defendeu esta quarta-feira que qualquer extensão do artigo 50 do Tratado de Lisboa só se justifica se houver um "objetivo claro". Ao seu lado, a chanceler alemã, Angela Merkel, mostrou abertura em adiar o Brexit, reiterando que quer uma saída do Reino Unido da União Europeia que seja "ordenada".

"Nós apoiaríamos um pedido de extensão só se fosse justificado por uma nova escolha dos britânicos", disse Macron numa conferência de imprensa conjunta com a chanceler alemã Angela Merkel. "Mas não aceitaríamos uma extensão sem um objetivo claro", acrescentou.

Já Merkel confirmou que não se oporia a dar "um pouco mais de tempo" ao Reino Unido se fosse necessário para uma saída "ordenada". "Se o Reino Unido precisar de um pouco mais de tempo, não vamos recusar, mas estamos a esforçar-nos para uma solução ordenada", disse Merkel.

Mais cedo, num debate parlamentar em Madrid, o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, disse que Espanha está aberta a um adiamento. "A Espanha não se vai opor à concessão de uma eventual extensão" da data de saída, prevista para 29 de março próximo, mas tem de haver "uma perspetiva clara de resolução", disse Pedro Sánchez, acrescentando que "prolongar a incerteza, com uma extensão dos prazos, não é uma alternativa razoável nem desejável".

Exclusivos