Oito feridos, 16 inundações e 107 incidentes à passagem do Pakhar em Macau

Tufão Pakhar é o segundo a atingir o território em quatro dias

A Proteção Civil de Macau registou hoje oito feridos ligeiros, 16 inundações e 107 incidentes causados pela passagem do tufão Pakhar, o segundo a atingir o território em quatro dias.

Estes números contrastam com o rasto de destruição deixado pelo Hato, na passada quarta-feira, que causou pelo menos 10 mortos e mais de duas centenas de feridos e danos avultados ainda por avaliar.

Os incidentes registados hoje pelo Centro de Operações de Proteção Civil (COPC) de Macau prendem-se com a queda de objetos que ficaram suspensos devido à ação do Hato, disse o coordenador do COPC, Ma Io Kun, numa conferência de imprensa sobre o balanço dos trabalhos de limpeza e recuperação do território.

Os oito feridos ligeiros, quatro homens e quatro mulheres, foram assistidos já depois de emitido o sinal 8 de tufão.

A tempestade Pakhar "não foi de grande intensidade quando comparada com o Hato", destacou Ma Io Kun, referindo ainda a ocorrência de 16 inundações "sem gravidade", oito em Macau, seis na Taipa e duas em Coloane.

Nove árvores caíram com o Pahkar, por terem ficado fragilizadas com a ação do Hato, acrescentou.

No terminal marítimo do Porto Exterior ficaram retidas 100 pessoas, quando as ligações foram suspensas ao ser içado o sinal 8, disse. As ligações marítimas foram já retomadas.

O Gabinete de Desenvolvimento do Setor Energético indicou que a rede elétrica não sofreu qualquer impacto com o tufão Pakhar.

O sinal 8 de tempestade tropical foi substituído pelo sinal 3 pelas 13:00 (06:00 em Lisboa), quando o Pakhar se localizava a cerca de 150 quilómetros de Macau, movendo-se a uma velocidade de 25 km/h em direção a noroeste.

A escala de alerta de tempestades tropicais é formada pelos sinais 1, 3, 8, 9 e 10, que são emitidos tendo em conta a proximidade da tempestade e a intensidade dos ventos.

O sinal 3 indica que o centro da tempestade tropical movimenta-se de forma a que se façam sentir em Macau ventos entre 41 km/h e 62 km/h com rajadas de cerca de 110 km/h. O sinal 3 vai continuar içado "por mais algum tempo", segundo os Serviços Meteorológicos e Geofísicos de Macau.

O aviso de grau amarelo de 'Storm Surge', relativo às inundações costeiras, o mais baixo de uma escala de 3, foi emitido às 09:00 em Macau (02:00 em Lisboa) e cancelado às 15:00 (08:00).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

"Petróleo, não!" Nesta semana já estivemos perto

1. Uma coisa é termos uma vaga ideia de quão estupidamente dependemos dos combustíveis fósseis. Outra, vivê-la em concreto. Obrigado aos grevistas. A memória perdida sobre o "petróleo" voltou. Ficou a nu que temos de fugir dos senhores feudais do Médio Oriente, das oligopolísticas, campanhas energéticas com preços afinados ao milésimo de euro e, finalmente, deste tipo de sindicatos e associações patronais com um poder absolutamente desproporcionado.