Cerca de 40% da população de Macau sem água ou com acesso limitado

Maior tempestade tropical dos últimos 50 anos a atingir Macau causou oito mortos e 153 feridos.

Cerca de 40% da população de Macau está sem água ou com acesso limitado um dia após a passagem do tufão Hato, o mais forte dos últimos 50 anos a atingir o território, disseram esta quinta-feira as autoridades.

O corte no fornecimento deve-se à inundação da Estação de Tratamento de Água da Ilha Verde, que abastece mais de metade da península e que só deve ser reparada pelas 00:00 locais (17:00 em Lisboa).

O número de vítimas mortais em Macau causadas pela passagem do tufão Hato, que registou rajadas de vento superiores a 200 quilómetros por hora, foi atualizado para oito, segundo os Serviços de Polícia Unitários. Registaram-se ainda pelo menos 153 feridos, na sua maioria ligeiros.

Ao nível da energia, a Companhia de Eletricidade de Macau (CEM) anunciou ter reposto o seu fornecimento pelas 06:00 (23:00 de em Lisboa) a todos os clientes afetados pelo apagão de quarta-feira, incluindo os principais serviços públicos.

O apagão' generalizado deveu-se a "uma falha no cabo de fornecimento de energia que faz a ligação Zhuhai-Macau" e que causou "uma interrupção no fornecimento de energia por toda a Macau".

Quanto ao trânsito, algumas zonas do território continuam congestionadas devido às operações de socorro e limpeza iniciadas após a passagem da tempestade tropical,

Árvores arrancadas e partidas, janelas e vidros destruídos, anúncios partidos e suspensos, e ruas enlameadas são visíveis em todo o território sujeito na quarta-feira à força do tufão Hato.

O Centro de Operações de Proteção Civil (COPC) indicou que os bombeiros e os Serviços de Alfândega "continuam os trabalhos de drenagem e buscas nos estacionamentos" de quatro edifícios na península de Macau.

Por outro lado, o COPC continua acompanhar os técnicos das companhias da água, eletricidade e telecomunicações que procedem a trabalhos de recuperação dos respetivos serviços., de acordo com um comunicado oficial.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.