Merkel: "Devemos intensificar luta contra terrorismo"

Chanceler alemã reiterou o seu apoio "a todos os britânicos"

A chanceler alemã, Angela Merkel, expressou hoje o seu apoio aos feridos e "a todos os britânicos" após o atentado no metro de Londres, adiantando que é necessário continuar o combate internacional ao terrorismo islâmico.

"Os nossos pensamentos estão com o povo britânico e isto reforça o facto de devermos intensificar e melhorar ao nível internacional a luta contra o terrorismo islâmico", afirmou Merkel à margem de um encontro em Berlim com o primeiro-ministro francês, Edouard Philippe.

"Recentemente ocorreram ataques em Barcelona, mas também em França e na Alemanha. E hoje Londres foi também afetada. Estamos, portanto, com o Reino Unido, com o seu governo, mas antes de tudo com os britânicos", adiantou a chanceler.

Pelo menos 22 pessoas ficaram feridas na explosão de hoje na estação de Parsons Green do metro londrino. As chamas deflagraram às 08:21 (mesma hora em Lisboa), no interior de um comboio com capacidade para transportar 865 passageiros.

O primeiro-ministro francês disse igualmente que os seus pensamentos estavam como os "feridos do atentado de Londres (...) e também com os militares alvos de um ataque no metro parisiense" hoje manhã, neste caso sem vítimas.

"Os dois acontecimentos mostram como estamos, coletivamente, em França, no Reino Unido, mas também na Alemanha, sob um nível de ameaça elevado, ao qual devemos dar respostas (...) para garantir as melhores condições de segurança possíveis", declarou Edouard Philippe.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Quem ameaça a União Europeia?

Em 2017, os gastos com a defesa nos países da União Europeia tiveram um aumento superior a 3% relativamente ao ano anterior. Mesmo em 2016, os gastos militares da UE totalizaram 200 mil milhões de euros (1,3% do PIB, ou o dobro do investimento em proteção ambiental). Em termos comparativos, e deixando de lado os EUA - que são de um outro planeta em matéria de defesa (o gasto dos EUA é superior à soma da despesa dos sete países que se lhe seguem) -, a despesa da UE em 2016 foi superior à da China (189 mil milhões de euros) e mais de três vezes a despesa da Rússia (60 mil milhões, valor, aliás, que em 2017 caiu 20%). O que significa então todo este alarido com a necessidade de aumentar o esforço na defesa europeia?