Livestream Plataforma

Jornal online junta JN, DN, TSF, Dinheiro Vivo, Folha de São Paulo, Rede Bandeirantes, O País, Rádio Mais, Jornal de Angola e Plataforma Macau

O futuro das redes globais no espaço dos países e regiões de língua portuguesa está hoje em debate no centro de convenções da Doca dos Pescadores em Macau, numa conferência onde também se apresenta o Plataforma um jornal online que reúne notícias e reportagens de vários órgãos de comunicação social em língua portuguesa.

O Plataforma é trilingue (em português, chinês e inglês) e tem uma redação em Lisboa e Macau que, para além de conteúdos próprios, faz a curadoria de notícias, reportagens, artigos de opinião, análises e outros conteúdos multimédia dos parceiros aderentes: Jornal de Notícias, Diário de Notícias, TSF, Dinheiro Vivo, Folha de São Paulo, Rede Bandeirantes, O País, Rádio Mais, Jornal de Angola e Plataforma Maca.

Para além daqueles órgãos de comunicação social de Portugal, Brasil, Angola e Macau, o Plataforma espera vir a ter parcerias com marcas de todos os 11 países de língua oficial portuguesa..

O evento de Macau (com início às 18h30 horas locais, 11h30 de Lisboa) terá como oradores convidados Glória Batalha Ung, Secretária-adjunta do Fórum para a Cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa e administradora do Instituto para a Promoção do Comercio e Investimento de Macau, Jorge Neto Valente, presidente da Associação dos Advogados de Macau, e João Francisco Pinto, diretor de Informação e Programas dos Canais Portugueses da Teledifusão de Macau (TDM), sendo moderado pelo presidente do Global Media Group Macau, Paulo Rego.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).