Liga e 5 Estrelas querem expulsar 500 mil migrantes

Programa político conjunto mantém o país no euro

O Movimento Cinco Estrelas (M5S) e a Liga Norte limaram na quinta-feira os detalhes do programa político conjunto que estão a negociar e já faltam poucos para uma posição comum, confirmaram hoje os líderes das duas formações.

A manutenção da Itália no euro, ao contrário do que chegou a ser afirmado, e a expulsão de 500 mil imigrantes considerados ilegais, são dois assuntos já resolvidos.

"Estamos a chegar aos últimos detalhes que temos de tratar", disse o líder do M5E, um partido antissistema, Luigi Di Maio, aos jornalistas, antes de acrescentar que "procuram manter informada a chefia do Estado" em permanência.

Por seu lado, o líder da Liga, de extrema-direita, Matteo Salvini, avançou que acredita que em 21 de maio os dois partidos já tenham encerrado a negociação sobre o pacto de governo para Itália, que já deve incluir os nomes para o Executivo.

Nas últimas horas, ambos os partidos publicaram versões diferentes sobre o avanço das negociações.

Na falta de apresentação do programa definitivo, as últimas versões incluíam políticas em matéria de imigração, fiscalidade, educação, ambiente, saúde, política externa ou as relações de Itália com a União Europeia.

Desaparece a possibilidade de a Itália poder sair do euro em dado momento e menciona-se a necessidade de debater mudanças nos tratados, como a convenção de Dublin, que regula a repartição de refugiados na União.

Mais se adianta que as competências da UE "deveriam ser reduzidas", além de que "com o espírito de voltar à visão anterior a Maastricht, em que os Estados europeus estavam motivados por um genuíno desejo de paz, fraternidade, cooperação e solidariedade, considera-se necessário rever a estrutura de governação económica europeia".

Ambos os partidos, que defenderam na campanha eleitoral o reforço dos controlos fronteiriços para travar a imigração ilegal, propõem a expulsão de meio milhão de imigrantes ilegais e construir centros para os acolher quando chegarem ao país, onde ficarão enquanto estiverem irregulares.

O programa comum inclui também a alteração do sistema de pensões para facilitar o acesso à reforma e à renovação de gerações, através de um sistema, designado 'quota 100', que permitirá a reforma quando a soma dos anos de idade e de descontos some 100, se bem que por enquanto não há uma idade mínima para a reforma.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

Há pessoas estranhas. E depois há David Lynch

Ganha-se balanço para o livro - Espaço para Sonhar, coassinado por David Lynch e Kristine McKenna, ed. Elsinore - em nome das melhores recordações, como Blue Velvet (Veludo Azul) ou Mulholland Drive, como essa singular série de TV, com princípio e sempre sem fim, que é Twin Peaks. Ou até em função de "objetos" estranhos e ainda à procura de descodificação definitiva, como Eraserhead ou Inland Empire, manifestos da peculiaridade do cineasta e criador biografado. Um dos primeiros elogios que ganha corpo é de que este longo percurso, dividido entre o relato clássico construído sobretudo a partir de entrevistas a terceiros próximos e envolvidos, por um lado, e as memórias do próprio David Lynch, por outro, nunca se torna pesado, fastidioso ou redundante - algo que merece ser sublinhado se pensarmos que se trata de um volume de 700 páginas, que acompanha o "visado" desde a infância até aos dias de hoje.