Ladrões destroem Lidl de Dublin com retroescavadora

Um outro supermercado foi "atacado" com uma serra industrial. Oito homens ficaram detidos

Nove pessoas foram acusadas de roubo após terem destruído dois supermercados em Dublin, esta sexta-feira.

De acordo com a BBC, um supermercado Lidl, que se encontrava encerrado devido a um forte nevão, ficou completamente destruído depois de os ladrões terem usado uma retroescavadora roubada para esmagar o telhado do edifício, que entrou em colapso e ruiu.

O Exército foi obrigado a intervir, para ajudar a polícia a chegar ao local no meio da tempestade, e os ladrões acabaram por ser detidos. Também foram feitas detenções numa outra loja - que não foi identificada - onde os suspeitos usaram uma serra industrial.

Veja as imagens aqui

Em comunicado, o Lidl diz ter conhecimento do "grave Incidente", informando que como a loja estava fechada não houve feridos entre o pessoal. "Dado que como o incidente é agora alvo de uma investigação criminal não vamos fazer mais comentários."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.