Kim Jong-un e Trump juntos em Pyeongchang?

"Estamos a dar-nos muito bem", disse o homem que era afinal um sósia do líder norte-coreano

Dois sósias do Presidente dos EUA, Donald Trump, e do líder norte-coreano Kim Jong-un, foram expulsos do estádio onde foi realizada esta sexta-feira a cerimónia inaugural dos Jogos Olímpicos de Pyeongchang, na Coreia do Sul.

O falso Donald Trump tinha cabelo louro e pele alaranjada e o duplo de Kim Jong-un usava o corte de cabelo curto característico do líder da Coreia do Norte.

"Estamos a dar-nos muito bem", disse o homem que era um sósia do líder norte-coreano, mas que não se quis identificar, segundo a Reuters.

"Queríamos surpreender toda a gente e trazer paz ao mundo e agora estamos a ser escoltados pelos seguranças, o que não nos parece justo", acrescentou. "Não queremos todos paz?", questionou o duplo.

Os dois foram conduzidos sem incidentes para fora do estádio, mas a sua passagem por entre a multidão causou um pequeno tumulto e muitos sorrisos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.