Juncker insta Turquia a parar de insultar Europa, "da qual se tem afastado"

O presidente da Comissão Europeia admitiu hoje que não é previsível que num futuro próximo a Turquia reúna as condições para aceder à União Europeia e instou Ancara a parar de insultar os Estados-membros e líderes europeus.

Dirigindo-se ao Parlamento Europeu por ocasião do discurso sobre o Estado da União, Jean-Claude Juncker lembrou que qualquer negociação com países candidatos assenta, acima de tudo, no "Estado de Direito, justiça e valores fundamentais", o que, argumentou, "afasta a Turquia" da adesão.

Segundo Juncker, "há já um tempo considerável que a Turquia se tem afastado" dos valores europeus e, como tal, da UE.

A título de exemplo, apontou que "o lugar dos jornalistas é nas redações, não nas prisões", apelando por isso às autoridades turcas que libertem os jornalistas detidos, "e não apenas os europeus".

"E parem de chamar aos nossos Estados-membros e chefes de Estado fascistas e nazis. A Europa é um continente de democracias maturas", advertiu.

O presidente do executivo comunitário disse ter, por vezes, "a impressão que há quem, na Turquia, queira quebrar as pontes, para depois responsabilizar a UE pelo fracasso nas negociações".

"Mas, do nosso lado, teremos sempre uma mão estendida, para o grande povo da Turquia e todos aqueles que queiram trabalhar connosco com base nos nossos valores comuns", disse.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.