Juncker defende entrada imediata de Roménia e Bulgária no espaço Schengen

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, defendeu hoje, durante o seu discurso sobre o Estado da União, em Estrasburgo, que "é mais que altura" de Roménia e Bulgária juntarem-se ao espaço Schengen de livre circulação.

Dirigindo-se ao Parlamento Europeu, o presidente do executivo comunitário argumentou que uma Europa com robustas fronteiras externas, como deve ser o caso, também tem que ser "inclusiva", e sustentou que é chegada a altura de dar acesso ao espaço Schengen a Roménia e Bulgária, e, em breve, à Croácia, assim que este país cumprir todos os critérios.

No mesmo sentido, Juncker manifestou o desejo de ver mais países aderirem à zona euro, pois o euro deve ser mais que a moeda de um grupo de países, e deve servir "para unir o continente, e não dividi-lo".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.