Jovem esfaqueou quatro pessoas em Périgueaux

Autoridades descartam possibilidade de ataque terrorista

Um jovem esfaqueou esta terça-feira quatro pessoas na cidade francesa de Périgueaux, tendo uma delas ficado gravemente ferida, segundo a imprensa local, adiantando que a investigação descarta a hipótes de se tratar de um ato terrorista.

O agressor, de 19 anos, estava a incomodar um grupo de raparigas em frente da sua residência quando dois tripulantes de uma ambulância passaram e pararam para travar a situação, conta o jornal "Le Parisien".

O jovem ficou enfurecido e foi a casa buscar uma faca de cozinha e, novamente na rua, esfaqueou os dois homens e dois vizinhos, um dos quais ficou gravemente ferido no pulmão.

As quatro vítimas foram transportadas para o hospital e o agressor foi preso, adianta o jornal, citado pela agência espanhola Efe.

Segundo jornal, o jovem poderá sofrer de problemas psiquiátricos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Falem do futuro

O euro, o Erasmus, a paz. De cada vez que alguém quer defender a importância da Europa, aparece esta trilogia. Poder atravessar a fronteira sem trocar de moeda, ter a oportunidade de passar seis meses a estudar no estrangeiro (há muito que já não é só na União Europeia) e - para os que ainda se lembram de que houve guerras - a memória de que vivemos o mais longo período sem conflitos no continente europeu. Normalmente dizem isto e esperam que seja suficiente para que a plateia reconheça a maravilha da construção europeia e, caso não esteja já convertida, se renda ao projeto europeu. Se estes argumentos não chegam, conforme o país, invocam os fundos europeus e as autoestradas, a expansão do mercado interno ou a democracia. E pronto, já está.