Um palestiniano morto por soldados israelitas na faixa de Gaza

Zakaria al-Kafarneh, 24 anos, foi atingido no peito, perto de Jabaliya, no norte da faixa de Gaza

Um palestiniano foi hoje morto a tiro por soldados israelitas na faixa de Gaza durante manifestações de protesto contra o reconhecimento pelos Estados Unidos de Jerusalém como capital de Israel, indicou o Ministério da Saúde do governo de Gaza.

Zakaria al-Kafarneh, 24 anos, foi atingido no peito, perto de Jabaliya, no norte da faixa de Gaza, em confrontos ao longo da barreira que separa Israel do enclave palestiniano, precisou o ministério.

Trata-se do nono palestiniano morto nas violências provocadas pela decisão norte-americana anunciada a 6 de dezembro.

Segundo a mesma fonte, seis palestinianos foram feridos por balas reais durante concentrações nas quais participaram centenas de pessoas em diferentes pontos da referida barreira. Um dos feridos está em estado grave.

O movimento radical islâmico Hamas, que governa o território sob bloqueio, tinha apelado a uma nova jornada de protesto após as orações de hoje.

A decisão unilateral do Presidente Donald Trump de "voltar as costas" a decénios de diplomacia norte-americana e internacional provocou manifestações e confrontos quase diários nos territórios palestinianos, que causaram centenas de feridos e levaram a dezenas de detenções.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.