Jair Bolsonaro é perigo real no Brasil e segue passos de Adolf Hitler

Jornalista brasileira defende que o pré-candidato às presidenciais brasileiras quer implementar um regime militar de torturadores

Jair Bolsonaro, pré-candidato às eleições presidenciais brasileiras deste ano, é uma ameaça real e segue um caminho semelhante ao de Adolf Hitler na década de 1930, na Alemanha, considerou hoje em declarações à Lusa a jornalista brasileira Luize Valente.

"O que está a acontecer hoje com Jair Bolsonaro (capitão do exército na reserva) é como a ascensão de Hitler na Alemanha. Para mim, é um candidato que segue o mesmo caminho", disse a também escritora Luize Valente.

A jornalista brasileira está em Portugal para o lançamento do seu romance histórico "Sonata em Auschwitz" - publicado pela editora Saída de Emergência -, e cujo lançamento está marcado para o próximo dia 24 de janeiro, na FNAC do Chiado.

"(Jair Bolsonaro) é um candidato que entrou na disputa presidencial e as pessoas riam dele, como uma figura caricata. No entanto, tem uma série de seguidores, cada vez maior, e tornou-se forte porque não há outro candidato, outra opção viável", avaliou a escritora.

O ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (com cerca de 34% nas intenções de voto), do Partido dos Trabalhadores/PT - esquerda, fortaleceu sua liderança na corrida presidencial de 2018 e o deputado Jair Bolsonaro (com cerca de 17%), do Partido Social Cristão/PSC - direita, está isolado em segundo lugar, segundo uma sondagem feita em dezembro pelo Datafolha.

Entretanto, Lula da Silva será julgado em segunda instância, a 24 de janeiro, num processo em que foi condenado no âmbito da Operação Lava Jato.

Se for confirmada a condenação, dificilmente poderá se candidatar às eleições presidenciais deste ano.

"O Lula, por exemplo, mesmo que seja inocentado, já tem uma mancha tão grande que acho difícil ter grande peso (nas eleições). Eu não sei o que vai acontecer. Entre Lula e Bolsonaro, votaria no Lula, mas estou a espera que surja outro candidato", disse Luize Valente, mas acrescentou não vê grandes opções.

Luize Valente acredita que não houve um período tão terrível como este que o Brasil está a passar, com uma grande crise económica, política e social.

"No Brasil, estamos num momento de muito medo e de estagnação. Eu percebo todo mundo assim", acrescentou.

"Assusta-me muito. Bolsonaro é uma ameaça muito real para nós. Ele teve um grande crescimento individual, tem um público eleitor jovem. São homens de classe média, que têm acesso à informação, mas que optaram por aceitar o discurso retrógrado de Jair Bolsonaro", afirmou.

"Como Donald Trump nos Estados Unidos, acredito que Jair Bolsonaro não tem estofo para dirigir um país", avaliou.

Segundo Luize Valente, "Jair Bolsonaro defende o regime militar e defende torturadores".

"A nossa ditadura militar (1964-1985) foi muito corrupta. É daí que vem a nossa corrupção. Bolsonaro, no seu discurso, diz que vai acabar com a violência, é a favor das pessoas andarem armadas, tem até o apoio do (Presidente dos Estados Unidos, Donald) Trump, é homofóbico e muito preconceituoso", disse.

"Eu ouço muito os discursos do Jair Bolsonaro. (O atual deputado federal pelo Rio de Janeiro) é contra o Estado laico e, sendo casado com uma evangélica, é a favor de um Estado mais religioso", sublinhou.

"Em relação aos esquemas de corrupção que a Operação Lava Jato foi levantando e toda a questão do Governo do PT (com os ex-Presidentes Lula da Silva e Dilma Rousseff), tudo isso salpicou em muitas pessoas. Podemos inocentar legalmente, mas existe aqui uma questão de moralidade, temos tanta gente envolvida nos escândalos, como no da Petrobras", lamentou a jornalista.

Para a escritora, uma eventual vitória de Bolsonaro nas presidênciais de 2018 seria "a volta da ditadura, pois não é uma pessoa democrática".

"As pessoas que defendem o Bolsanaro, não defendem nada que seja verdadeiramente concreto. Não sabem responder como ele vai, por exemplo, acabar com a violência no país", referiu ainda.

Jair Bolsonaro, que já foi acusado de ser racista, nos seus discursos manifestou-se a favor da pena de morte, da prisão perpétua, das privatizações e da redução da maioridade penal. É contra a união de casais do mesmo sexo, as cotas raciais, a reforma agrária, a despenalização das drogas, os imigrantes e o Estado laico.

Luize Valente, que nasceu no Rio de Janeiro e possui ascendência portuguesa e alemã, é escritora, documentarista e jornalista, com mais de vinte e cinco anos de experiência em televisão, nomeadamente na rede Globo, Bandeirantes, GNT e GloboNews.

Ler mais

João Almeida Moreira

Premium Segundos, Enéas e minutos

"O senhor vê na televisão o programa político eleitoral do presidente, tudo colorido, todos contentes, artistas milionários, se é essa a sua realidade, então vote neles, PT, PMDB, PSDB, PRTB, qualquer P, sempre estiveram juntos, é falsa a briga deles, agora se o senhor não aguenta mais ver menor abandonado na rua, as drogas, os crimes, tudo o que não presta aumentando, se você quiser expulsar para sempre esses patifes do poder, só existe uma opção, 56, o senhor nunca me viu junto com nenhum deles e comigo o senhor vai ficar livre de todos eles, o meu nome é Enéas 56."