Israel e palestinianos no pior conflito em Gaza desde a guerra de 2014

Hamas diz que o seu ataque na faixa de Gaza é uma retaliação à morte de sete dos seus combatentes no domingo num confronto com o exército israelita. Além dos sete palestinianos, um oficial do exército israelita morreu

Israel levou a cabo mais ataques aéreos na faixa de Gaza nesta terça-feira, segundo a Reuters, enquanto as milícias palestinianas continuam a atacar território israelita com rockets naquele que é considerado o pior surto de violência desde a guerra de 2014, que durou sete semanas.

O Hamas, que controla a faixa de Gaza, além de outras fações armadas dispararam mais de 400 rockets e morteiros que atingiram várias casas depois de, na segunda-feira, terem levado a cabo um ataque com um míssil que atingiu um autocarro e feriu um soldado israelita. O Hamas diz que o seu ataque foi uma retaliação à morte de sete dos seus combatentes no domingo num confronto com o exército israelita. Além dos sete palestinianos, um oficial do exército israelita morreu durante o que terá sido uma operação das forças especiais de Israel no enclave.

Um dos muitos ataques aéreos israelitas atingiu a Al-Aqsa, a estação televisiva do Hamas na Faixa de Gaza, que deixou de emitir após o bombardeamento, referiram testemunhas locais. Minutos antes, a estação tinha interrompido a sua programação e exibia uma imagem fixa do seu logótipo após o edifício ter sido atingido por um míssil de aviso.

Os esforços das Nações Unidas, Egito e Qatar para que seja alcançado um cessar-fogo entre Israel e as milícias palestinianas estão neste momento ameaçados.

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, convocou uma reunião de emergência dos responsáveis pela segurança para discutir a escalada de violência em Gaza.

A tensão entre Israel e o Hamas subiu nos últimos meses devido aos protestos organizados desde o final de março no enclave no âmbito da 'marcha do retorno', contra o bloqueio israelita e para exigir o regresso dos refugiados palestinianos que fugiram ou foram expulsos aquando da criação do Estado hebreu em 1948.

O secretário-geral da ONU apelou esta segunda-feira apelou a todas partes envolvidas no conflito entre Israel e a Palestina "máxima moderação", na escalada da escalada de violência que se tem sentido em Gaza nos últimos dias.

António Guterres pediu moderação e informou, através de um porta-voz da ONU, que o coordenador especial da organização, Nickolay Mladenov, está a trabalhar "estreitamente com o Egito e com todas as partes envolvidas para restaurar a calma".

Ler mais

Exclusivos

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.